dexametasona

Dexametasona pode ser utilizada por pacientes em estado grave infectados pelo novo corona vírus segundo pesquisadores da Oxford.

Em um lampejo inesperado de esperança em meio a uma pandemia em expansão, cientistas da Universidade de Oxford disseram na terça-feira que um medicamento barato e comumente disponível reduz as mortes de pacientes com Covid-19 grave, a doença causada pelo coronavírus.

Se a descoberta for confirmada, o medicamento, um esteróide chamado dexametasona, seria o primeiro tratamento que reduz a mortalidade nos pacientes mais doentes e pode salvar centenas de milhares de vidas, eventualmente milhões, alterando o curso da pandemia.

Três quartos dos pacientes Covid-19 hospitalizados recebem algum tipo de oxigênio. A droga parece reduzir as mortes de pacientes com ventiladores em um terço e as mortes de pacientes com oxigênio em um quinto.

Se os médicos usassem dexametasona para tratar os pacientes Covid-19 mais doentes da Grã-Bretanha desde o início da pandemia, até 5.000 mortes poderiam ter sido evitadas, estimaram os pesquisadores.

Até agora, os hospitais de todo o mundo não tinham nada a oferecer a esses pacientes desesperados e moribundos, e a perspectiva de um tratamento que salvava vidas à mão – em quase todas as farmácias – era recebida com algo como exultação pelos médicos.

“Assumindo que, quando passa por uma revisão por pares, permanece – e esses são pesquisadores bem estabelecidos – é um grande avanço, um grande avanço”, disse o Dr. Sam Parnia, pneumologista e professor associado de medicina da Grossman School of Medicine at Universidade de Nova York. “Não posso enfatizar o quão importante isso pode ser.”

Primeiros resultados do uso da Dexametasona

Segundo eles, o estudo, parte do Recovery (Randomised Evaluation of Covid-19 Therapy, ou avaliação randomizada da terapia contra a covid-19), mostra os resultados para 2.104 pacientes selecionados aleatoriamente, que foram medicados com a dexametasona, por via oral ou intravenosa.

Eles foram comparados a 4.321 pacientes tratados convencionalmente. Os números mostram que a redução de mortes foi de 35% para pacientes que precisavam de tratamento com respiradores e 20% para os que precisavam de suporte de oxigênio. Houve registro de que a droga seja eficiente em casos menos severos, com apenas 13%.

Reino Unido inclui Dexametasona no tratamento

O Reino Unido começará a administrar imediatamente dexametasona aos pacientes com covid-19, conforme anunciou hoje o ministro da Saúde, Matt Hancock, depois que o estudo demonstrou que o corticoide salvou as vidas de um terço dos casos mais graves.

“Estamos trabalhando com o Serviço Nacional de Saúde para que o tratamento padrão contra a covid-19 inclua a dexametasona a partir desta tarde”, disse Hancock”